Carregando...
residência médica

A Residência Médica é obrigatória?

A residência médica é o melhor caminho para ser um médico especialista de sucesso? Todos sabem que conquistar uma vaga no curso de medicina não é fácil. Certamente, você já sabe que passar no vestibular foi apenas uma primeira etapa vencida. Além do curso em si, que exige muita dedicação, daqui a pouco você estará se perguntando: e agora, o que faço do meu futuro? Devo seguir qual especialidade médica? É neste ponto que você começa a ouvir sobre a residência médica.

Embora não seja obrigatória para o exercício da profissão, a residência é considerada “padrão ouro” da especialização médica. É uma modalidade de ensino de pós-graduação, destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização.

Portanto, é essencial que você saiba tudo sobre como se preparar e como são os concursos para e não perder tempo. A concorrência nos programas de residência médica das principais instituições, como a residência da USP, é elevada e, você, precisa estar à frente.

Neste post você vai encontrar:

O que é residência médica?

Considerada “padrão ouro” da especialização na medicina, a Residência Médica é uma modalidade de ensino de pós-graduação, instituída em 1977 (decreto 80.281, de 5/9/1977) destinada a médicos, sob a forma de curso de especialização. Ela funciona em instituições de saúde e tem orientação de profissionais médicos com alta qualificação ética e profissional. No mesmo decreto que instituiu a residência médica foi criada a Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

O programa de Residência Médica, integralmente cumprido dentro de uma determinada especialidade confere ao médico residente, o título de especialista. Somente programas credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica podem empregar a expressão “residência médica”.

Os programas concedem o título de especialista. Não são, portanto, obrigatórios para se exercer a profissão, mas a maioria dos concursos públicos exige o certificado, além de hospitais e clínicas particulares. Os programas, porém,  garantem o aperfeiçoamento do padrão profissional e científico do médico e a melhoria da assistência médica à comunidade nas áreas profissionalizantes.

Os graduados que participam de residências são supervisionados. O programa tem a duração de dois anos, podendo chegar a cinco anos dependendo da carga horária e da especialização escolhida.

Ela é obrigatória?

Não é obrigatório fazer a residência. Terminada a graduação, geralmente depois de seis anos, o médico com CRM pode atuar em consultórios, clínicas e hospitais. No entanto, ele vai atuar como generalista. Para se especializar em uma determinada área ele precisa estudar mais. Os programas de residência concedem o título de especialista.

Embora não seja obrigatória, a maioria dos concursos públicos exige a titulação, o mesmo ocorrendo em hospitais e clínicas. Portanto, o melhor mesmo é dar sequência aos estudos para construir uma carreira de sucesso. O médico que faz uma residência reconhecida pela Comissão Nacional de Residência Médica têm direito a uma bolsa-auxílio durante os estudos, atualmente, no valor de R$ 3.330,43.

Especialidades médicas mais procuradas

No topo da lista das especialidades médicas mais procuradas está a Clínica Médica ( 11,2%). A escolha da residência em clínica médica está muito atrelada ao fato de que ela é pré-requisito para várias outras áreas de atuação. 

Já na lanterna do ranking está a Genética Médica, com apenas 0,1% de especialistas. Além da questão do pré-requisito, outra fator que influencia no ranqueamento é a oferta de programas nestas áreas. Veja as cinco mais procuradas e as cinco menos procuradas conforme a pesquisa do Perfil do Médico Brasileiro, organizada pelo CFM.

  • Mais procuradas
    Clínica Médica (11,2%)
    Pediatria  (10,3%)
    Cirurgia Geral (8,9%)
    Ginecologia e Obstetrícia (8%)
  • Menos procuradas
    Medicina Esportiva (0,2)
    Medicina Legal e Perícia Médica (0,2)
    Cirurgia de Mão (0,2%)
    Radioterapia (0,2%)
    Genética Médica (0,1%) 

Como são as provas de residência médica?

Todo recém-formado com o registro do CRM pode atuar como médico generalista. Para se especializarem em uma área, precisam dar sequência aos estudos e enfrentar o período de residência médica. As provas não são direcionadas à área que você escolheu. Todas contêm temas gerais da graduação, abrangendo cinco áreas básicas: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Medicina Social.

Além da prova técnica, em média com 100 questões, são realizadas mais duas etapas: análise curricular e entrevista. O peso maior, entretanto, nestes casos é para a prova técnica.  Além da prova técnica, mais duas etapas são necessárias para conseguir a aprovação na residência escolhida: análise curricular e entrevista pessoal.

O concurso, no entanto, depende também da escolha da instituição e especialidade. As diferenças podem ser importantes com a inclusão, em alguns casos, da prova prática. Em alguns processos seletivos ela pode representar até 50% da nota e em outros nem mesmo existe. Por isto, é preciso estar bem preparado.  

Em geral, os editais de residência 2020 começam a ser divulgados pelas instituições no segundo semestre. Para começar a se inteirar dos concursos é sempre bom que você tenha desde o início da graduação um contato com o que é cobrado nas provas e também para que faça um planejamento curricular.

Quer saber tudo sobre residência médica e aprender como se preparar para as provas?

Fique de olho em tudo nas atualizações do nosso blog

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.