Carregando...
revalida

Como se preparar para o novo Revalida

Qualquer pessoa formada em Medicina em outro país precisa ser aprovada no exame antes de exercer a profissão no Brasil. Sem o Revalida, o profissional não consegue fazer seu registro no Conselho Regional de Medicina e não é autorizado a desempenhar a atividade médica em qualquer lugar no país. 

 Se você é um dos milhares de brasileiros que optou por fazer o curso de Medicina no exterior precisa saber que não basta se formar e voltar para o país para exercer a profissão. Para que isto aconteça, médicos formados no exterior precisam fazer o Revalida – o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras.

Embora o Revalida esteja passando por mudanças, conforme informou o INEP ao blog Revisamed, a tendência é de que as provas em duas etapas – teórica e prática – sejam mantidas. Portanto, independente das mudanças, você que já se formou ou está concluindo o curso de Medicina no exterior precisa estar preparado.

Qual o conteúdo estudar para a prova do Revalida ?

Criado em 2011, o Revalida nada mais é do que um teste para verificar se o profissional possui os conhecimentos, habilidades e competências necessárias para exercer a Medicina no país. Para comprovar estas habilidades e conhecimentos você que se formou no exterior fará uma prova teórica com 105 questões, sendo 100 de múltipla escolha e 05 discursivas.

A estrutura da prova abrange as cinco grandes áreas da Medicina: Clínica Médica, Cirurgia, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia e Medicina Familiar e Comunidade. É bom que você fique sabendo que alguns temas são recorrentes desde que o exame foi instituído, segundo análise de alguns especialistas.

 

Área Temas
Ginecologia e obstetrícia Pré-natal, parto, aleitamento, distúrbios menstruais, anticoncepção, mastologia, oncologia, doenças clínicas da gravidez, sofrimento fetal.
Pediatria Pneumologia, diarreia, infectologia, violência doméstica, trauma, toxicologia, crescimento e desenvolvimento, neonatologia
Clínica endocrinologia, hepatologia, infectologia, nefrologia, neurologia, pneumologia, psiquiatria, reumatologia, oncologia, toxicologia, cardiologia, dermatologia.
Cirurgia coloproctologia, complicações em cirurgia, hérnias, técnica cirúrgica, anestesia, traumatologia, hemorragia digestiva, abdome agudo, cirurgia vascular, urologia, trauma abdominal, doenças das vias biliares, obstrução intestinal.
Preventiva medidas de saúde coletiva, epidemiologia, estratégia de saúde da família, SUS, medicina legal e ética médica, saúde do trabalhador

Temas das questões discursivas do último Revalida

O último Revalida foi realizado em 2017 e neste teste as questões discursivas abordaram temas de grande importância para a prática médica. Os médicos formados no exterior tiveram que responder sobre: síndrome metabólica; morte encefálica e conduta médica quanto à doação de órgãos; diagnóstico de Sífilis; diagnóstico de condiloma acuminado e violência sexual infantil e equipe da Saúde da Família.

Saiba também como funciona a prova prática

O conhecimento teórico, segundo os analistas do Revalida, é importante, porém o médico formado no exterior precisa ter as habilidades e competências estabelecidas pelas Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de graduação da Medicina.

Entre as habilidades, podemos citar atenção à saúde, tomada de decisões, comunicação, liderança, administração e gerenciamento, e educação permanente. Isto porque, a prova prática da segunda etapa do Revalida, exige que o candidatos realizem tarefas como:

  • Investigação de história clínica.
  • Realização de exame físico.
  • Interpretação de exames complementares.
  • Formulação de hipóteses diagnósticas.
  • Estabelecimento de plano terapêutico.
  • Demonstração de procedimentos médicos.
  • Aconselhamento a pacientes ou familiares

Mudanças incluem duas edições do Revalida por ano

O Revalida tem o objetivo de atender melhor os médicos que estudaram fora do país e pretendem atuar no Brasil, garantido a qualidade da formação do profissional estrangeiro, assegura o INEP. Para isto, as mudanças estão sendo estudadas um grupo de trabalho interministerial, criado especificamente para tratar do estudo e diagnóstico dos processos de revalidação dos diplomas de Medicina no Brasil.

Mas antes mesmo de as novas regras começarem a valer, é importante que você saiba que há a expectativa de que o Revalida passará a ter, pelo menos, duas edições por ano. E os profissionais terão a oportunidade de fazer a segunda fase do processo mais de uma vez.

Segundo a Agência Brasil, o Ministério da Educação (MEC) já anunciou que as provas continuarão sendo realizadas como antes, em duas etapas. A primeira com uma prova objetiva e a segunda com prova prática, em uma estação clínica.

A diferença, agora, é que o aluno que reprovar a segunda fase pode refazê-la por mais duas vezes em edições consecutivas. Até agora, o candidato precisava realizar todo o processo desde o início.

Uma outra sugestão é que a Secretaria de Educação Superior (Sesu), do Ministério da Educação (MEC), com colaboração do Conselho Federal de Medicina (CFM), passe a ser responsável pelo Revalida. A previsão do MEC é que publicação da portaria para instituir o Novo Revalida e do edital ocorram ainda este ano.

Esperamos que estas informações ajudem você estudante de Medicina do exterior a começar a se preparar para o Revalida.

Conheça o curso Revisamed que, agora, também oferece a opção do preparatório para o exame e revalidação do diploma.

Continue acompanhando nosso blog e todas as informações sobre o Revalida.

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.