Carregando...

Veja questão de prova de residência médica da UNIRG-TO

Saiba mais sobre a hidrossalpinge

A hidrossalpinge é uma dilatação da tuba uterina que ocorre quando há obstrução da extremidade tubária próxima ao ovário e a tuba acumula secreção.

Isto normalmente ocorre como consequência de uma infecção do útero e das tubas uterinas (moléstia inflamatória pélvica), mas também pode ocorrer em mulheres com endometriose e naquelas com aderências abdominais causadas por cirurgias ou outras infecções.

É possível fazer uma cirurgia para desobstruir a tuba uterina (salpingoplastia/neossalpingostomia), porém a ocorrência de gravidez após esta cirurgia depende do grau de dilatação da tuba uterina, da causa da obstrução, do estado da porção interna da tuba (endossalpinge) e se a obstrução não irá acontecer novamente.

Além disto, eleva-se o risco de gestação ectópica (na tuba uterina). Assim, cada caso deve ser avaliado individualmente para verificar a melhor alternativa. Em algumas situações é preferível remover a tuba uterina a desobstrui-la. ( Site Minha Vida)

 

neoplasias colorretal

Fatores de risco para as neoplasias colorretais. Dica de prova Revisamed

O Revisamed preparou mais uma #dicadeprova. A médica Cristiane de Souza Bechara, proctologista e membro titular da Sociedade Brasileira de Coloproctologia, fala sobre os fatores de risco modificáveis para as Neoplasias Colorretais. Acompanhe.

 

Como posso prevenir o câncer colorretal?

Assim como métodos preventivos para outros tipos de câncer, é interessante que o indivíduo tenha sempre hábitos de vida saudáveis, com alimentação rica em frutas, verduras, cereais integrais e exercícios físicos. Os alimentos ricos em fibras protegem o intestino porque facilitam a evacuação, aceleram o trânsito intestinal e diminuem o tempo de contato das substâncias carcinógenas (que levam a formação de câncer) com a parede do intestino.

Estilo de vida

A reflexão sobre o seu estilo de vida é sempre uma forma de prevenir qualquer tipo de câncer, pois ao buscar equilíbrio, você certamente atingirá uma vida saudável. Confira algumas dicas para a prevenção do câncer colorretal:

  • Praticar exercícios físicos regulares
  • Não fumar
  • Não ingerir bebidas alcóolicas
  • Não ingerir alimentos defumados, enlatados ou embutidos
  • Não ingerir alimentos com corantes e/ou conservantes
  • Remover pólipos do intestino se diagnosticados pela colonoscopia
  • Ingerir alimentos ricos em vitamina C e E
  • Dieta rica em fibras e com pouca gordura de origem animal
  • Quais são os fatores de risco para o câncer colorretal?

Dieta com alto teor de gordura e pouca fibra, ingestão de carnes gordas assadas em carvão, frituras, manteiga, queijos amarelos, alimentos com corantes, alimentos salgados e defumados (lingüiças, salames, salaminhos) que liberam nitrosaminas no intestino, que são substâncias cancerígenas.

  • Falta de exercícios físicos.
  • Fumo e álcool: o consumo de ambos está relacionado com vários tipos de tumores, incluindo o câncer do cólon e reto.
  • Idade: quanto maior a idade, maior o risco. A idade é um fator de risco importante, o câncer colorretal é mais comum após os 50 anos, contudo a doença pode ocorrer em pessoas mais jovens.
  • Pólipos: São tumores benignos, parecidos com verrugas que se desenvolvem na parede interna do cólon e reto. Cerca de 60% dos pólipos do intestino são adenomas e podem apresentar potencial para a malignidade. É importante o diagnóstico e tratamento precoce, principalmente após os 50 anos e se houver história de câncer colorretal na família.
  • História familiar de câncer intestinal: quanto mais pessoas de uma mesma família tiverem diagnóstico de câncer colorretal, maior o risco de se desenvolver a doença. Se o indivíduo tiver parentes próximos (pai, mãe, irmão, tios ou avós) que tiveram câncer de intestino, o risco de contrair a doença aumenta muito, especialmente se a doença acometeu um parente com menos de 40 anos de idade.
  • Antecedentes pessoais de outros tipos de câncer: Mulheres que tiveram câncer de ovário, endométrio (útero) ou da mama têm maior risco de desenvolver câncer colorretal.
  • Doença inflamatória intestinal: A retocolite ulcerativa (doença inflamatória intestinal que ocorre na mucosa do cólon) e a Doença de Crohn (inflamação crônica que pode atingir toda a extensão do aparelho digestivo – desde o esôfago até o ânus) são doenças inflamatórias do intestino, benignas, mas causadoras de inflamação da mucosa do aparelho digestivo. Estas doenças geram um maior risco de câncer colorretal, principalmente, após 8 anos de evolução. (Texto extraído do site do Hospital do Amor )