Carregando...
Residência médica pediatria

Residência Médica: Veja especialidades com mudanças a partir de 2019

Residência médica pediatria

Os médicos que vão fazer prova para residência médica em 2019/2020 devem ficar atentos às mudanças  em algumas áreas  dos programas de residência médica no país. Entre as mudanças, destaque para as residências de Pediatria, Neurologia, Cirurgia Cardiovascular. Os editais destas especialidades que forem lançados a partir de 2019 para novos programas deverão estar em acordo com a nova legislação.

O que muda?

  • Pediatria passa a ter mais um ano obrigatório e 30% das atividades feitas em ações básicas de saúde. Veja requisitos mínimos para residência em Pediatria.
  • Neurologia passa a ter mais um ano obrigatório.
  • Cirurgia Cardiovascular passa de 4 para 5 anos com acesso direto.
  • Para a Pediatria as alterações significam 30% das atividades feitas em ações básicas de saúde.

Na Neurologia, o aumento do tempo de residência foi aprovado em 2018. Veja  Matriz de Competência de Neurocirurgia

Residência em cirurgia cardiovascular

Em 2017, a Cirurgia Cardiovascular passou a ter duração de 5 anos com acesso direto . A mudança foi proposta pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular que justificou a medida  pela evasão de candidatos após os dois anos de Cirurgia Geral – antes pré-requisito, necessidade de aprender novas competências, diminuição da procura pela especialidade, as habilidades da cirurgia geral podem ser adquiridas com o treinamento direto em Cirurgia Cardiovascular, Cirurgiões treinados com (CNRM) ou sem (SBCCV) o pré-requisito em Cirurgia Geral têm igual desempenho quando oriundos de serviços de excelência.

Confira a RESOLUÇÃO Nº 2, DE 4 DE ABRIL DE 2019, que dispõe sobre a matriz de competências dos Programas de Residência Médica em Cirurgia Cardiovascular no Brasil.

Fique por dentro das residências médicas

Veja também as matrizes de competências aprovadas pela Comissão Nacional de Residência Médica para 23 especialidades.

Matriz de Competência de Alergia e Imunologia
Matriz de Competência de Anestesiologia
Matriz de Competência de Cirurgia Cardiovascular
Matriz de Competência de Cirurgia da Mão
Matriz de Competência de Cirurgia do Aparelho Digestivo
Matriz de Competência de Cirurgia Geral
Matriz de Competência de Cirurgia Oncológica
Matriz de Competência de Cirurgia Plástica
Matriz de Competência de Dermatologia
Matriz de Competência de Endocrinologia e Metabologia
Matriz de Competência de Gastroenterologia
Matriz de Competência de Genética Médica
Matriz de Competência de Ginecologia e Obstetrícia
Matriz de Competência de Hepatologia
Matriz de Competência de Medicina do Trabalho
Matriz de Competência de Medicina Nuclear
Matriz de Competência de Neurocirurgia
Matriz de Competência de Oncologia Clínica
Matriz de Competência de Ortopedia e Traumatologia
Matriz de Competência de Otorrinolaringologia
Matriz de Competência de Patologia
Matriz de Competência de Pneumologia
Matriz de Competência de Urologia

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria e Comissão Nacional de Residência Médica

Série Revisamed ‘especialidades médicas’ destaca Neurologia

Neurologia: saiba mais sobre a especialidade médica

A Neurologia Clínica é a especialidade médica voltada ao estudo, diagnóstico e tratamento das doenças que comprometem o sistema nervoso (cérebro, medula espinhal, raízes nervosas e nervos) e músculos (doenças musculares – miopatias). Conscientizar a população sobre as doenças neurológicas – prevenção, diagnóstico e tratamentos – e destacar a importância do neurologista na medicina atual são alguns dos objetivos da Academia Brasileira de Neurologia.

O Neurologista, Neurocirurgião e Neurologista infantil possuem formações diferentes. O Neurologista estuda as doenças que serão tratadas clinicamente, tendo durante a sua formação um grande aporte de conhecimento e experiência a respeito de medicamentos, as interações entre esses medicamentos e sua ação sobre a doença e sobre o indivíduo. Tem antes de tudo uma formação clínica e não realiza procedimentos cirúrgicos.

O Neuropediatra exerce o mesmo papel do neurologista, mas a sua formação é voltada especificamente para as doenças neurológicas de crianças. O Neurocirurgião tem como principal foco o tratamento das doenças do sistema nervoso através de cirurgia e atua, principalmente, em centros cirúrgicos. O Neurocirurgião não é submetido ao mesmo tipo de treinamento do neurologista para a aprendizagem do diagnóstico, tratamento clínico e conhecimento sobre o manejo das drogas da extensíssima variedade de doenças neurológicas.

Doenças mais frequentes diagnosticadas e tratadas por neurologistas:

  • Doenças Cerebrovasculares (popularmente conhecidas como “Derrame”);
  • Cefaléias e Enxaquecas (Dores de Cabeça);
  • Epilepsias (Convulsões)
  • Transtornos da Memória e do Intelecto (Demências);
  • Doença de Parkinson;
  • Doença de Alzheimeir
  • Doenças Desmielinizantes (como Esclerose Múltipla)
  • Esclerose Lateral Amiotrófica;
  • Doenças dos nervos periféricos (neuropatias periféricas);
  • Miopatias (doenças musculares);
  • Meningites e encefalites;
  • Doenças infecciosas do sistema nervoso;
  • Outras


Sintomas de doenças neurológicas:

  • Dificuldade de engolir;
  • Fraqueza de braços ou pernas;
  • Formigamentos em uma ou várias partes do corpo;
  • Tonturas e desequilíbrio;
  • Dores de cabeça;
  • Distúrbios da memória;
  • Anormalidades na visão (visão dupla, perda de campo visual);
  • Perdas de consciência;
  • Desmaios;
  • Dor;
  • Sintomas que podem indicar meningite, como dor de cabeça, febre e rigidez de nuca;
  • Dores musculares sem nenhuma causa aparente;
  • Tremores;
  • Câimbras;
  • Dificuldades para andar;
  • Alterações na fala.

Fontes:  Academia Brasileira de Neurologia (https://www.abneuro.org.br)e Sociedade Brasileira de Neurologia (https://www.abneuro.org.br/)