Carregando…

Revisamed alerta para prevenção no Dia de Combate a Hipertensão

Uma doença silenciosa e democrática. A Hipertensão Arterial acomete crianças, adultos e idosos, homens e mulheres de todas as idades, classes sociais e condições financeiras. Cerca de 30% da população têm a doença. 

O curso para Residência Médica Revisamed alerta, no Dia Nacional de Combate à Hipertensão, 26/04, para as mortes em que o principal fator de risco é a pressão alta, a prevenção e o tratamento para a pressão alta.

Doenças cardiovasculares mantam 34 pessoas por hora no Brasil

Segundo Ministério da Saúde, cerca de 34 pessoas morrem por hora de doenças cardiovasculares no país. Esse é o retrato das doenças cardiovasculares no Brasil (infarto, hipertensão, AVC e outras enfermidades), que têm como principal fator de risco a hipertensão arterial.

Por si só, os números reforçam o alerta para os cuidados com a saúde a partir de hábitos alimentares saudáveis.

Sal um dos grandes vilões da pressão alta

O consumo excessivo de sal aumenta o risco de hipertensão e doenças do coração.

Pesquisas recentes apontam que dois terços do consumo de sal pela população brasileira vêm do sal adicionado direto no prato.

O brasileiro consome mais que o dobro (quase 12g) da quantidade recomendada (5g) pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Várias as ações vem sendo feitas ao longo dos anos para alertar a população.

Dentre elas, acordos celebrados pelo Ministério da Saúde com a Indústria. Desde 2011, 17 mil toneladas de sódio foram retiradas de alimentos que seriam consumidos pela população, segundo a Associação Brasileira das Indústrias (Abia). Essa parceria entre a pasta e a Abia foi renovada para o quinquênio 2017-2022.

Estratégias de combate inclui adoção de estilo saudável de vida

Além das estratégias como educação alimentar e nutricional, assistência nos serviços de saúde e metas de redução de sódio com a indústria, existem outras recomendações dos especialistas para combater a hipertensão.

Entre elas a adoção de um estilo de vida saudável desde a infância até a terceira idade, além da realização dos exames de saúde rotineiros pelo menos uma vez no ano.

Causas da pressão alta

Essa doença é herdada dos pais em 90% dos casos, mas há vários fatores que influenciam nos níveis de pressão arterial, entre eles:

  • Fumo
  • Consumo de bebidas alcoólicas
  • Obesidade
  • Estresse
  • Elevado consumo de sal
  • Níveis altos de colesterol
  • Falta de atividade física

Além desses fatores de risco, sabe-se que a incidência da pressão alta é maior na raça negra, em diabéticos, e aumenta com a idade.

Sintomas da pressão alta

De acordo com o Ministério da Saúde, os sintomas da hipertensão costumam aparecer somente quando a pressão sobe muito. Portanto, podem ocorrer dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal.

Pressão alta não tem cura, mas pode ser controlada

A pressão alta não tem cura, mas tem tratamento e pode ser controlada. Somente o médico poderá determinar o melhor método para cada paciente.

No SUS o hipertenso oferece gratuitamente medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e pelo programa Farmácia Popular.

Mudar estilo de vida é a melhor forma de prevenção

Além dos medicamentos disponíveis atualmente, é imprescindível adotar um estilo de vida saudável:

  • Manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares
  • Não abusar do sal, utilizando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos
  • Praticar atividade física regular
  • Aproveitar momentos de lazer
  • Abandonar o fumo
  • Moderar o consumo de álcool
  • Evitar alimentos gordurosos
  • Controlar o diabetes.

O curso Revisamed ainda aborda a questão da hipertensão arterial para os profissionais de saúde.

O cuidado ao indivíduo portador de pressão alta, com exames e procedimentos mais complexos, as complicações provenientes dessa doença, é realizado no âmbito da média e alta complexidade do SUS.

 Estes indivíduos deverão ser encaminhados para pontos de atenção de densidade tecnológica equivalente e com equipes de saúde preparadas para a abordagem.

Os métodos diagnósticos e terapêuticos para os quais há evidências de eficácia e segurança são ofertados pelos SUS, mediante organização da rede pelo gestor local e financiamento via teto de Média e Alta Complexidade. Eles e estão disponíveis no Sistema de Gerenciamento da Tabela de Procedimentos, Medicamentos e Procedimentos e OPM do SUS (SIGTAP).

Protocolos e Diretrizes Terapêuticas

Além disso, as complicações provenientes da pressão alta, como Infarto Agudo do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral, possuem Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT).

São documentos que estabelecem critérios para o diagnóstico da doença ou do agravo à saúde; o tratamento preconizado, com os medicamentos e demais produtos apropriados, quando couber.

Além disto, as posologias recomendadas; os mecanismos de controle clínico; e o acompanhamento e a verificação dos resultados terapêuticos, a serem seguidos pelos gestores do SUS.

Estes são baseados em evidência científica e leva em consideração critérios de eficácia, segurança, efetividade e custo-efetividade das tecnologias recomendadas. Os PCDTs estão disponíveis no endereço: http://conitec.gov.br/

Acompanhe o canal Você na Residência Médica do Revisamed e fique por dentro das principais datas do calendário da saúde, as mais importantes noticias da área e sobre as provas de residência medica.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: